Trânsito de Saturno pelas Casas

ψ

Saturno fica cerca de dois anos e meio em cada casa (de 30 graus). Durante este período se precisa estar muito atento aonde Saturno irá mexer.

A passagem de Saturno pelas casas ressalta onde se precisa desenvolver, trabalhar e esforçar. Nesta casa se estará mais exigente, disciplinado, se cobrará mais resultados, eficiência e maturidade. Habitualmente se incorpora Saturno com inconsciência provocando julgamentos e criticas de forma inadequada ou criando medos e tabus que se não iluminados provocam traumas, feridas, carências.

α

Astrologia, Karma e Transformação

Stephen Arroyo

Os Trânsitos de Saturno e outros Planetas

Como a qualidade de energia libertada é semelhante em todos os trânsitos de Saturno, não importa qual o planeta natal envolvido; e como todos os trânsitos saturninos são sentidos como uma reação pessoal em algumas dimensões da vida do indivíduo (mostradas pelo planeta natal em questão) aos princípios e lições básicos de Saturno, creio que bastará explicar aqui alguns conceitos e frases-chave que considero úteis para a compreensão desses trânsitos, mais do que tratar cada um deles em separado.

Como já tentei esclarecer neste capítulo, as conjunções, quadraturas e oposições com Saturno em trânsito (na verdade, de qualquer planeta em trânsito) são os mais importantes aspectos a reter; e pode também dizer-se que os trânsitos de Saturno pelos «planetas pessoais», pelo Ascendente ou pela sua própria posição natal são quase sempre percebidos pelo indivíduo de urna maneira óbvia, ao passo que, quando Saturno transita por Júpiter, Urano, Neptuno e Plutão, só às vezes são facilmente relacionados com experiências ou sentimentos dos quais a pessoa possa ter consciência imediata. A consciência da pessoa do significado destes últimos trânsitos depende, em boa parte, da consciência que a pessoa tem da sua vida interior e também da posição, poder e aspectos destes planetas no horóscopo de nascimento. Observei pessoalmente algumas experiências extremamente importantes ocorridas quando Saturno transitava num aspecto exato (ou quase exato – dentro dos 10º) com Júpiter, Urano, Neptuno ou Plutão, mas não é raro que o significado mais profundo de algo que possa acontecer durante estes trânsitos não seja aparente durante vários meses ou mesmo anos. Os seguintes princípios básicos podem ser aplicados a qualquer trânsito de Saturno; o conceito-chave deve apenas ser relacionado com a dimensão da experiência de vida representada pelo planeta acrivado por Saturno.

A) Saturno faz sempre baixar o ritmo usual da natureza na área indicada; mas, ao abrandá-lo e ao fazer com que uma pessoa se sinta, por vezes, perguntando-se «quando é que isto acabará?», concentra a nossa experiência, faz-nos viver o presente e ajuda-nos a dirigir a nossa energia, a concentrá-la e a conservá-la.

B) Os trânsitos de Saturno aprofundam e canalizam a atenção e a consciência ida pessoa, ao mesmo tempo que a tornam mais objectiva e pura. Por exemplo, um aspecto de Saturno com Vénus mostra que um indivíduo se pode tornar mais puro e objectivo na sua atitude perante o amor, mas também, durante este período, pode desenvolver uma mais profunda capacidade para dar e receber amor porque está mais concentrado no «aqui e agora», e mais consciente daquilo que está a fazer, da pessoa com quem partilha o amor e daquilo que isso significa para si,

C) Os trânsitos de Saturno são, muitas vezes, sentidos como a «mão do destino» penetrando na nossa vida na área indicada, fazendo com que aconteçam coisas e levando-nos a enfrentar os medos. Enfrentar essas coisas pode ser difícil e, por vezes, muito duro, mas trata-se de um passo necessário para quem quiser obter uma perspectiva mais segura e realista da experiência.

D) Os trânsitos de Saturno revelam, muitas vezes, aquilo que o indivíduo deve fazer e decidir se quiser viver integralmente e de acordo com as responsabilidades que sente para consigo próprio.

E) Os trânsitos de Saturno pressionam o indivíduo a tornar a dimensão da experiência indicada mais definida e concreta; e esta perspectiva mais realista da área da vida é, regra geral, impulsionada por um ou dois métodos de testar as atitudes e realidades próprias nesse campo de experiência. Ou a pessoa sente que está a ser testada pelas circunstâncias para ver se atinge determinados padrões; ou sente uma ânsia interior de examinar essa área para ver se se adequá aos valores recém-descobertos e às exigências pessoais. Esta experiência pode ser sentida como limitação ou frustração – tudo depende do nível de consciência do indivíduo – à medida que a pessoa descobre que não pode ter tudo. Mas tal pressão pode impelir ao desenvolvimento da autoconfiança e da força interior.

F) Os trânsitos de Saturno podem ajudar-nos a reforçar a nossa confiança na área indicada, reforço baseado no conhecimento das nossas verdadeiras capacidades e daquilo que obtivemos pelo esforço. Uma vez conhecidas mais realisticamente as nossas capacidades, podemos assumir uma responsabilidade maior pela nossa própria vida.

G) Os trânsitos de Saturno tendem a moderar tudo o que é excessivo na vida – orgulho excessivo, atividade excessiva, dependência excessiva, ou mesmo fé excessiva Cisto é, infundada).

Saturno através das Casas

Os conceitos-chave aqui mencionados (de A a G) podem também aplicar-se à compreensão dos trânsitos de Saturno através das casas do horóscopo de nascimento, com a seguinte distinção: o trânsito de Saturno em aspecto exato com um planeta natal simboliza o processo de definição de uma dimensão específica da personalidade e mostra aquilo que uma pessoa sente como a faceta mais autenticamente essencial do ego, enquanto o trânsito de Saturno pela casa natal representa um período de definição da perspectiva pessoal de toda essa área de experiência e de atividade. Muitas vezes, as mudanças representadas pelos trânsitos de Saturno nas casas natais são mais visíveis do que os trânsitos de Saturno pelos planetas natais, embora existam muitas excepções à regra. Se uma pessoa nasceu com qualquer planeta «acidentalmente dignificado», isto é, localizado na casa a que está associado, o período em que Saturno transita por essa casa será especialmente importante e poderoso porque Saturno estará em conjunção com este planeta durante o mesmo período em que ocupa a casa com ele relacionada. Por outras palavras, se uma pessoa nasceu com Vênus na VII casa, quando Saturno estiver em conjunção com Vênus estará também na VII casa, dando-nos, assim, dois símbolos separados de um processo similar de definição e estruturação da consciência pessoal de camaradagem e das necessidades de amor. Isto é aquilo a que chamo um «tema» no horóscopo, visto que a pessoa experimentaria esta pressão para enfrentar sentimentos e atividades no âmbito das relações com os outros mais realisticamente, como um tema principal na sua vida, por muitos meses e talvez mesmo por mais de dois anos. Mas, em qualquer caso, a posição de Saturno mostra invariavelmente qual o campo de experiência pessoal que o indivíduo tenta (ou deve tentar) estruturar e definir com maior clareza e em que área de atividade da vida deve procurar construir uma perspectiva sólida e duradoura.

Para perspectivar o significado de Saturno numa dada casa é necessário considerar o seu ciclo através das doze casas como um ciclo completo de experiência de vida e de maturação. Mas é também importante conhecer o motivo pelo qual uma pessoa acentua determinado ponto de partida ou foco durante esse ciclo. A posição natal de Saturno é, naturalmente, um ponto focai em todo o ciclo e no processo de desenvolvimento que simboliza. Embora o primeiro trabalho de Grant Lewi acerca do ciclo de Saturno constitua um notável progresso ao aplicar na prática o conhecimento astrológico e contenha valiosos exercícios de penetração, creio que sobrevaloriza apenas um dos modos de encarar o ciclo de Saturno — o seu significado em relação ao êxito temporal e aos objetivos de carreira. Se, tal como Lewi, uma pessoa empregar os trânsitos de Saturno através das casas como um indicador apenas desta área da experiência de vida, então — tal como ele — acentuará a IV casa como o foco de novos avanços que podem conduzir ao êxito, quando Saturno cruzar a X casa. Nesta perspectiva, o trânsito de Saturno pela I, II e III casas — considerado por Lewi um «período de obscuridade» — não é tido como importante, salvo na medida em que é um período de preparação para as ambições que, mais tarde, aparecerão recortadas com maior clareza. Se usarmos a astrologia somente como instrumento de orientação vocacional ou talvez de direção de pessoal numa grande companhia ou num departamento de Governo, a perspectiva e os conceitos de Lewi serão suficientes e, regra geral, bastante corretos; mas para quem aconselha seres humanos a um nível mais íntimo e subtil, quando os seus sentimentos e necessidades mais próprios devem ser tomados em consideração, de pouco valerá dizer a alguém que está a entrar num período de «obscuridade» que durará sete anos e que, durante esse período, apenas terá de esperar com paciência pela descoberta de um trabalho ou de uma vocação mal definida (mas, claro, absolutamente maravilhosos!) que eventualmente darão à sua vida excitação e significado profundos.

O tipo de conselheiro astrológico que insiste nas promessas, por ser aquele terreno em que se pode dizer algo de positivo e esperançoso, é o tipo de astrologia que geralmente se demonstra como sem sentido e destinada, no fim de contas, a encobrir as deficiências de compreensão ou a absoluta ignorância do conselheiro. Incutir tão ilusórias esperanças num cliente não, é de facto, aconselhar; é apenas encorajar a pessoa a concentrar-se na fantasia, mais do que nos factos e sentimentos imediatos, um gênero de prática astrológica que se parece muito com os métodos dos adivinhos, aos quais a maior parte dos astrólogos não quer, nem por sombras, ser associada. De todos os símbolos planetários usados em astrologia não há nenhum que chame mais fortemente a nossa atenção para enfrentar a realidade, aqui e agora, do que Saturno. Por isso, creio que podemos tentar um processo mais construtivo de explicar o ciclo de Saturno aos clientes, aos amigos ou a nós próprios, quando tentamos compreender as nossas experiências.

O melhor meio de considerar o ciclo de Saturno é tomar em conta a totalidade do ciclo, o processo completo e interminável de desenvolvimento simbolizado com particular ênfase na posição de Saturno em trânsito na I casa, visto que a I casa representa a área mais pessoal e individual do horóscopo de nascimento. Considerando a I casa como a mais importante fase de todo o ciclo e não apenas o princípio de um «período de obscuridade», poder-se-á avaliar a importância do ciclo de Saturno como indicador não só de alterações vocacionais e de carreira, mas também de um desenvolvimento interior ao nível psicológico e espiritual. Será nesta perspectiva que abordaremos os trânsitos de Saturno pelas várias casas natais, mas, antes de entrarmos nos pormenores de cada uma delas, vamos delinear um processo alternativo de considerar o trânsito de Saturno pelos quadrantes do horóscopo, mais amplo e mais psicologicamente orientado do que os significados dados por Lewi. Explicações semelhantes foram fornecidas por Marc Robertson no seu livro The Transit of Saturn, e baseiam-se em conceitos inicialmente desenvolvidos por Dane Rudhyar. Estas idéias são as seguintes:

No Quadrante I (Casas I, II E III): Saturno revela a nossa capacidade de desenvolvimento de ser essencial e da autoconsciência.

No Quadrante II (Casas IV, V E VI): Saturno revela as nossas condições para o desenvolvimento da capacidade de compreensão e do modo de auto-expressão.

No Quadrante III (Casas VII, VIII E IX): Saturno revela a nossa capacidade de desenvolvimento do método de relacionação com os outros e da nossa consciência dos outros como indivíduos.

No Quadrante IV (Casas X, XI E XII): Saturno revela a nossa capacidade de desenvolvimento do poder da nossa influência sobre os outros ou sobre a sociedade em geral, e da sua expressão.

Deve notar-se que estes conceitos são gerais no essencial e servem para dar ao astrólogo uma ideia genérica do significado do ciclo de Saturno; na maior parte dos casos, o melhor é ter presente este quadro geral como base para a compreensão das experiências específicas mostradas pela exata posição nas casas de Saturno em trânsito.

Outro ponto que vale a pena mencionar é que o significado de um trânsito de Saturno através de determinada casa pode mudar visivelmente, à medida que o trânsito se processa. Quando Saturno começa a entrar numa casa (o que o indivíduo sente muitas vezes quando Saturno fica a uns 6º da cúspide dessa casa15, embora o planeta possa estar ainda tecnicamente na casa anterior), uma pessoa experimenta uma ânsia mais intensa de fazer qualquer coisa na área de vida indicada do que sentirá mais tarde. A faceta problemática da posição de Saturno em determinada casa parece ser, regra geral, mais aparente no primeiro ano em que Saturno a ocupa. Depois, em muitos casos, parece que a pessoa foi impelida a aprender o suficiente sobre o modo de se adequar com mais realismo a esta área de vida, o que lhe permitirá assimilar novos ensinamentos. Claro que a rapidez com que se aprendem as lições saturninas depende do indivíduo e este princípio não pode ser transformado num dogma; muitas vezes, porém, uma pessoa sentirá mais o peso do trânsito de Saturno quando o planeta estiver na primeira metade de determinada casa. À frustração e a pressão para agir de certa maneira pode ser, então, mais forte. Depois, quando a pessoa atinge mais estabilidade e tem outra compreensão neste campo de experiência, a pressão continua mas já não é sentida com tanta intensidade. Este princípio é especialmente verdadeiro no que respeita a casas onde não estão situados os planetas natais porque – quando uma pessoa tem efetivamente planetas numa determinada casa – a conjunção exata de Saturno com esses planetas assinala, com frequência, o período de máxima intensidade. Se uma pessoa encontrar o modo exato de enfrentar as pressões interiores e exteriores sentidas durante a primeira fase do trânsito, então a segunda fase pode ser vista como um período de assimilação mais profunda dos importantes progressos obtidos.

15 Eu utilizo o sistema de Casas de Nascimento de Kock em todo o meu trabalho: depois de ter experimentado os sistemas de Placklus. Campanus e das Casas Iguais descobri que as cúspides de Kock permitem o mais rigoroso cálculo das importantes mudanças indicadas por um planeta em trânsito que muda de casa. Uma órbita aproximada a 6° da cúspide utiliza-se não só em trabalho com trânsitos, mas também na análise de horóscopos de nascimento. Por outras palavras, em determinado horóscopo de nascimento, se um planeta estiver tecnicamente na V casa. por exemplo, mas a 6° da cúspide da VI, fará, muitas vezes, mais sentido interpretá-lo como se estivesse na VI e não na V. Em alguns casos, contudo, ambas as interpretações parecem fazer sentido.

Quando Saturno em trânsito se encaminha para o fim de uma casa e está prestes a entrar na seguinte (por outras palavras, quando está a uns 6- da cúspide da próxima casa) verifica-se, muitas vezes, um acontecimento, uma experiência ou uma compreensão claramente relacionados com o período a acabar e com o significado básico da casa que Saturno abandona. Muitas vezes acontecerá qualquer coisa que simboliza nitidamente uma consolidação dos esforços dos dois ou três anos anteriores e, em muitos casos, o que acontece — embora seja, com freqüência, importantíssimo — não coincidirá com quaisquer outros trânsitos ou progressões fundamentais. Por outras palavras, em muitíssimos casos não se descobrirá nenhum fator astrológico primacial, além do facto de Saturno abandonar determinada casa, para simbolizar o que se passa. O que acontece, seja o que for, é, muitas vezes, acompanhado por uma sensação de alívio, ou de catarse ou satisfação, uma espécie de desimpedimento da pista que antecede a partida de Saturno para a casa seguinte. Menciono este fenômeno com algum pormenor porque o tenho visto repetidas vezes acontecer com grande regularidade — e um astrólogo procurando freneticamente um trânsito específico, uma progressão, uma direção que possa ser «responsabilizada» por tal experiência. Na verdade, o mesmo fenômeno acontece também com a Lua em progressão, quando este planeta se prepara para abandonar determinada casa e entrar na seguinte. Poderia encher todo um livro com um dos meus casos sobre estas ocorrências comuns, mas agora devemos abordar os significados específicos de Saturno em trânsito nas várias casas.

Trânsito de Saturno na Casa I

Quando Saturno atravessa esta casa está a criar-se uma nova ordem, após a velha ter sido dissolvida, enquanto Saturno se encontrava na casa XII. À medida que Saturno se aproxima e entra em conjunção com o Ascendente, sente-se, muitas vezes, algo que nos devolve à Terra, que nos leva a compreender os resultados das nossas ações e dos modelos de comportamento passado e que, por isso, nos pode impelir a assumir maior responsabilidade por nós próprios e pelas nossas ações do que anteriormente. Regra geral, algumas circunstâncias externas compelem-nos a enfrentar factos ou situações imediatas importantes que talvez tenham sido desprezados ou tidos como certos no passado. Este tipo de experiência é o início de uma longa fase de compreensão de certas verdades práticas acerca de nós próprios. Como, nessa altura, muitas pessoas se tornam mais conscientes das suas faltas e necessidades de desenvolvimento no futuro, este período é, muitas vezes, assinalado por uma busca ativa de recolha de informação fora de nós, a fim de se obter um quadro mais claro daquilo que realmente somos, de quem realmente somos. Pode procurar-se esta informação nos amigos, mas recorre-se com freqüência a um conselheiro, a um psiquiatra, a um astrólogo ou a outro tipo de terapeuta. Em resumo, trata-se de um período em que as pessoas se tornam mais realistas acerca de si próprias, em que tentam obter uma perspectiva sobre o gênero de pessoa que querem ser e em que começam a construir esse novo Eu através de um esforço concentrado e de uma honesta auto-apreciação.

O termo «recomposição» descreve bem Saturno na I casa porque quando Saturno abandona a XII — o indivíduo se sente muitas vezes como um recém-nascido, aberto a tudo com uma curiosidade insaciável, mas também sem muita disciplina ou estrutura definida de personalidade. As novas potencialidades que aparecem durante a fase da XII casa ainda não estão integradas num todo coerente e funcional. Quando Saturno entra na I casa, sente-se com freqüência a necessidade de nos tornarmos outra coisa, de trabalhar ativamente no nosso próprio desenvolvimento, mais do que permanecer num estado de abertura — passiva, no entanto —, simbolizada pela XII casa. Então, muitas vezes, a pessoa aplica um considerável esforço na moldagem de um novo sentido de identidade, de um novo e mais profundo nível de confiança; e quando Saturno se aproxima do extremo da I casa, teremos uma experiência ou conheceremos alguém que nos levará à experiência da compreensão da nossa própria totalidade com uma clareza maior. Este novo sentimento de integração e de fortaleza interior baseia-se num mais profundo sentido dos valores perenes e num maior sentido das responsabilidades pessoais e da individualidade essencial.

Enquanto Saturno se cruza com o Ascendente e permanece na I casa, verificam-se também freqüentemente assinaláveis mudanças físicas. É comum uma perda de peso sem esforço, por vezes mesmo exagerada. A energia física é muito baixa, manifestando-se em cansaço, má digestão e em períodos depressivos. Contudo, devemos compreender que é este o período que encerra as maiores oportunidades para a construção de um novo corpo, bem como de uma nova personalidade; essa construção exige, todavia, disciplina, perseverança e muito trabalho. Tenho visto pessoas robustas e saudáveis a desbaratarem as suas energias para nada durante este trânsito, por não se decidirem a melhorar os seus hábitos de saúde e a disciplinar os seus regimes de vida e de alimentação. Por outro lado, também tenho visto pessoas fracas e doentes iniciarem um regime de vida ao longo deste período que as leva a alcançar um estado de excelente saúde e de abundante energia, mesmo antes de Saturno abandonar a I casa.

Por outras palavras, o trânsito de Saturno pela I casa pode ser considerado como a fase-chave do ciclo saturnino, visto que é durante este período de vida que começamos, de facto, a criar o tipo de pessoa que queremos ser e a compreender que tipo de pessoa o nosso karma quer que sejamos. Por isso, todas as atividades e envolvimentos de uma pessoa no mundo exterior durante o resto do ciclo de vinte e nove anos se desenvolverão diretamente a partir dos valores a que o indivíduo adere e do tipo de carácter que durante este período se constrói. O trânsito de Saturno pela I casa pode, de facto, ser considerado um «período de obscuridade» no sentido em que o indivíduo presta atenção, em primeiro lugar, a si próprio, desprezando o envolvimento ativo em atividades e em ambições que prontamente seriam detectadas pelo público (embora existam algumas excepções a este comportamento). Mas claro que é quase sempre necessário uma pessoa voltar-se para si própria e retirar-se, em certa medida, dos envolvimentos do mundo externo durante qualquer período de acentuada transformação pessoal e desenvolvimento acelerado. Deve também salientar-se que é bastante comum o indivíduo começar a interessar-se, neste período, por qualquer objectivo de longo prazo que eventualmente se transformará numa vocação ou ambição fundamentais, visto que o planeta da ambição e da carreira (Saturno) está na casa dos novos avanços (I). Aquilo que antes eram as principais ambições e os principais objetivos a longo prazo desmoronam-se, regra geral, ou são vistos como sem sentido quando Saturno está na XII casa, ao passo que novos objetivos e interesses vocacionais começam a tomar forma quando Saturno atravessa a I. A pessoa não compreende, muitas vezes, que estes novos interesses desempenharão papel importante nas atividades fundamentais dos anos futuros; no entanto, o indivíduo parece com freqüência guiado em direção a tipos específicos de trabalho, mesmo que sinta uma certa resistência ao prosseguimento de tais atividades. No fim de contas, Saturno é geralmente sentido como «a mão do destino» que toca as nossas vidas, e tal sensação é mais uma prova de que «a mão do destino» nos ajuda a definir a nossa orientação futura.

Trânsito de Saturno na Casa II 

Quando Saturno entra na II casa, termina o período caracterizado pela preocupação com a identidade. E verifica-se, muitas vezes, uma acentuada sensação de alívio, bem como um sentimento mais forte de que agora há que deitar mãos ao trabalho para se produzir. Muitas pessoas exprimem esta alteração dizendo algo como isto: «Estou cansado de pensar em mim próprio e nos meus problemas; sinto que já sei quem sou e insistir mais nesta questão não passaria de comodismo. O que pretendo agora é fazer qualquer coisa no mundo real. executar algo definido e ganhar algum dinheiro.» Por isso, a pessoa que tem Saturno em trânsito pela II casa sente, regra geral, um forte impulso para estruturar a sua situação financeira, para se aplicar no aumento ou racionalização de rendimentos,

poupanças, investimentos ou meios de vida. Trata-se, habitualmente, de um período em que a pessoa começará a pôr em prática planos para um novo negócio, a dedicar-se a qualquer tipo de aprendizagem (formal ou informalmente) ou a adquirir treino prático que possa vir a torná-lo capaz de ganhar mais dinheiro. É, por outras palavras, um período de lançamento dos alicerces da segurança e cia estabilidade no mundo material; e embora o rendimento do indivíduo possa não ser muito grande enquanto se dedica a esses esforços preparatórios e possa haver forte ansiedade quanto a dinheiro ou outros factores de segurança, o que, regra geral, se diz acerca desta posição de Saturno, com respeito a dívidas, pobreza e grandes atribulações é — sei-o pela minha experiência consideravelmente exagerado. A maior parte das pessoas sentem, de facto, a pressão de Saturno nesta área das suas vidas, mas a maior parte dos meus clientes têm enfrentado essa pressão de um modo muito prático e não têm sido vítimas de desastres financeiros particularmente graves. Uma das minhas clientes até ganhou quinze mil dólares num concurso, quando Saturno estava na sua II casa; e muitos outros clientes meus abriram negócio ou encetaram novas atividades durante este período e vieram a tornar-se notavelmente prósperos.

O que muitas vezes acontece nesta fase é que as necessidades financeiras se tornam mais reais e algumas lições práticas acerca da sobrevivência são assimiladas pela pressão da necessidade. O nível de capacidade para satisfazer as necessidades materiais no princípio desta fase terá grande impacte no tipo de coisas que se sentirão neste período. A primeira coisa a ter presente é que Saturno é lento, mas seguro. E os benefícios materiais podem eventualmente resultar de uma perspectiva exata e paciente das questões práticas. Os lucros podem não ser imediatamente aparentes; mas se uma pessoa enfrentar a necessidade de estabelecer uma estrutura financeira e de segurança sem ignorar os custos pessoais, aquilo que edificar pode servir muito bem durante muitos anos. O trânsito de Saturno pela II casa não se limita, no seu significado, às coisas materiais; como é, todavia, nesta área de vida que a maior parte das pessoas o sentem imediatamente, dediquei um pouco mais de espaço a esta dimensão. Pode dizer-se, contudo, que se trata de um período de lenta mas segura acumulação de todos os tipos de recursos, quer materiais, quer psicológicos, que podem contribuir para a autoconfiança, baseada no conhecimento do apoio e torça que se procuraram e da compreensão e recursos profundos a que -se possa recorrer ao longo da vida. É também um período para avaliar de que modo usamos as nossas idéias e talentos específicos no passado (a II casa e a XII a contar da ITI), se nos foram úteis e nos permitiram produzir algo ou se apenas se demonstraram inúteis ou impraticáveis. Se foram válidos e uma pessoa se dedicar às tarefas que tem entre mãos, experimentará, muitas vezes, uma consolidação da sua situação financeira, quando Saturno começa a abandonar esta casa.

Trânsito de Saturno na Casa III

Quando Saturno começa a atravessar a III casa, a sensação de que muitas das questões práticas que nos tinham ocupado a atenção estão agora resolvidas permite-nos começar a dirigir a energia para um nova aprendizagem que nos abrirá a profundidade da preparação profissional e nos permitirá conhecer o valor das nossas idéias. Este período é, regra geral, sentido como menos pesado do que o trânsito de Saturno pela casa da Terra anterior, embora a importância relativa da fase da III casa dependa de a pessoa ser intelectualmente orientada ou dedicada a um trabalho que envolva comunicação ou viagens. Existe, muitas vezes, uma tendência para a preocupação sem objectivo e qualquer insegurança acerca das opiniões próprias ou da profundidade do conhecimento pessoal torna-se geralmente aparente. É um período em que nos devemos concentrar na aprendizagem de factos novos, de idéias novas, de novos talentos, que deem profundidade e praticabilidade à expressão da inteligência. Trata-se de um período excelente para a investigação ou para qualquer gênero de pensamento profundo; geralmente, dedica-se mais esforço à estruturação dos planos educacionais próprios, aos métodos de escrita ou de ensino ou ao modo de expressão das idéias pessoais. Assinala-se uma maior ênfase na análise séria, no pensamento prático e na capacidade de exprimir idéias com mais rigor. Muitas pessoas verificam que estão acordadas até mais tarde, a ler, e algumas que se registou uma alteração não só no seu método de comunicação, como até no tom de voz. Tais mudanças são causadas pelo sentimento que a pessoa tem de que precisa de construir uma estrutura mais sólida sobre a qual baseie as suas idéias e opiniões. Por isso, muitas vezes o indivíduo se dedica mais a atividades educacionais ou a investigações particulares que possam servir este objectivo. De facto, mesmo que muitas das idéias, factos e técnicas aprendidas durante este período possam não ter grande uso no futuro, o conhecimento dessas técnicas e pontos de vista proporcionam uma base de conhecimento que pode habilitar a pessoa a comparar e a avaliar teorias, conceitos e métodos à luz da sua experiência pessoal.

Nesta fase, é também indispensável uma aprendizagem ou uma pesquisa de âmbito mais vasto, a fim de aprofundar o sentido pessoal de segurança quanto à inteligência; de outro modo, a pessoa pode ter estado apenas a exprimir opiniões ou idéias em abstrato, sem a experiência imediata que lhes dá credibilidade. Em muitos casos, trata-se ainda de um período de viagens, resultante das exigências da profissão, de deveres familiares ou de outras responsabilidades. É também um período de «reatar elos perdidos», não só nas áreas intelectuais da vida, mas também nas relações com outras pessoas. Durante esta fase, o indivíduo definirá exatamente quais os limites das várias relações com amigos e conhecidos.

Trânsito de Saturno na Casa IV 

O trânsito de Saturno pela IV casa é um período para o indivíduo se concentrar nos alicerces da segurança e da sobrevivência, um período para confrontar as necessidades básicas de um sentimento de pertença e de tranqüilidade. A pessoa tende a olhar mais seriamente o seu lugar na comunidade e tenta, muitas vezes, estabelecer um sentido de solidez e de ordem no ambiente do lar. Isto pode significar, naturalmente, muitas coisas diferentes para pessoas diferentes, mas são, regra geral, duas as áreas de atenção no que respeita ao lar: 1) o estado físico e a arquitetura da casa podem parecer inadequados aos objetivos pessoais. O indivíduo pode então decidir modificá-la de algum modo, umas vezes construindo seja o que for dentro da própria residência ou no jardim, outras vezes mudando mesmo de casa; e 2) as obrigações para com a família tornam-se mais reais e insistentes. A pessoa sentir-se-á oprimida no ambiente que a rodeia, sensação que pode constituir um aviso de que é necessário definir melhor os limites não só da vida doméstica, como das próprias ambições (X casa — oposição polar com a IV). Na verdade, o trânsito de Saturno pela IV casa é um período em que se devem lançar os alicerces de quaisquer ambições a longo prazo e determinar a base de operações necessária para a carreira pessoal. Isto pode levar à redefinição do negócio, da profissão ou, pelo menos, à reestruturação do ambiente em que se trabalha. Uma última nota acerca da IV casa é que as pessoas parecem, muitas vezes, experimentar o karma direto durante este período, relacionado com os seus esforços criativos e/ou casos amorosos do passado. Explica-se tal facto se repararmos que a IV casa é a XII a contar da V.

Trânsito de Saturno na Casa V 

O trânsito de Saturno pela V casa é, de certo modo, semelhante ao da casa anterior do fogo — casa I — porque se trata de um período de maior seriedade acerca de nós próprios e, muitas vezes, de vitalidade e vivacidade reduzidas. Como a V casa está associada a Leão e ao Sol, este trânsito afeta marcadamente o sentido de alegria, de espontaneidade e de bem-estar. Algumas pessoas queixam-se de que nunca têm grandes alegrias neste período e que se sentem falhas de amor e de apreço. Estes sentimentos são compreensíveis se soubermos que o significado essencial deste trânsito é o de nos tornar conscientes do modo como usamos a nossa vitalidade em cada área de vida: a nossa energia física e sexual, a nossa energia emocional e todas as outras formas de poder criativo. Não que experimentemos subitamente todos os tipos de bloqueios e inibições que nunca antes sentíramos; trata-se mais de compreendermos, neste período, que bloqueios e medos têm habitualmente prejudicado as nossas energias ou interferido com a expressão das nossas forças criativas e da nossa natureza amorosa. Trata-se, em resumo, de um período para confrontar os medos e hábitos que nos fizeram sentir sem força, criativamente frustrados, incapazes de amar ou de ser amados. É uma fase de aprofundamento do nosso modo de auto-expressão e em que devemos trabalhar para causar uma funda impressão nos outros, através de uma ação responsável e disciplinada, mais do que apenas mediante exibições dramáticas ou sem conteúdo.

A pressão de Saturno durante este período devolve-nos a nós próprios e tem por efeito habilitar-nos a desenvolver as nossas fontes interiores de amor e criatividade, em vez de olharmos para o mundo exterior em busca de satisfação para estas necessidades. O sentimento de solidão ou de falta de amor pode, contudo, levar-nos inconscientemente a procurar mais atenção da esposa, dos filhos, do amante ou dos outros; mas podemo-nos tornar demasiado exigentes — regra geral, sem o compreendermos — e, assim, afastar aquelas pessoas de quem queremos estar mais perto, estimulando nelas um sentimento de rejeição.

Nesta fase podem, todavia, exprimir-se as mais profundas afeição e lealdade, através de uma honestidade responsável, do sentido do dever e de um esforço bem dirigido. Por isso, esta fase pode ser de grande satisfação, visto que a pessoa estará em condições de compreender que não existe amor real neste mundo sem um sentido de responsabilidade que o acompanhe. A expressão do amor aos outros pode tornar-se mais fraternal e protetora; tais sentimentos tornam-se essencialmente fortes nas atitudes para com as crianças, porque se trata de um período de contacto com as necessidades reais dos filhos e com os mais profundos deveres para com eles. Muitas vezes, é-se atraído para tipos saturninos que serão possíveis amantes, pois o indivíduo sente nessas pessoas um tipo de estabilidade emocional que habitualmente lhe falta. Isto pode tomar a forma de atracão por uma pessoa mais velha ou, simplesmente, por alguém que tenha uma forte ligação com Saturno ou Capricórnio. A distanciação, a reserva e o temperamento prático de um saturnino podem ser muito atraentes durante este período, já que uma pessoa aprende lentamente a ser mais isento e objectivo consigo próprio, na tentativa de satisfazer as necessidades emocionais. Em alguns casos, uma pessoa com Saturno em trânsito pela V casa sentir-se-á inclinada a usar os outros (muitas vezes inconscientemente, admitindo que está «apaixonada»), a fim de tentar aliviar o sentimento de solidão e fugir ao confronto com a falta de uma capacidade de amar profunda e responsável.

Uma compulsiva pressão interior para criar algo nesta fase pode desafiar-nos a disciplinar os nossos hábitos de trabalho criativo e a esforçarmo-nos mais por abrir um canal por onde flua essa energia. Se se têm ambições na área das artes criativas, por exemplo, este é o período ideal para respeitar um horário regular de trabalho e para começar a confiar mais no esforço e na organização consistentes, do que em lampejos transitórios de «inspiração». É uma fase para compreender que qualquer ato criativo que possamos realmente executar nasce através de nós, mais do que diretamente de nós. Por outras palavras, poderemos compreender que — se é o nosso karma a criar alguma coisa — apenas fazemos um esforço dirigido que permite às forças criativas exprimirem-se por si próprias. Isto é, no entanto, difícil de conseguir, visto que, regra geral, temos muito pouca fé e confiança durante este período e, assim, uma tendência para nos fecharmos ou recearmos o fracasso. Tendemos a tomar a vida, em todas as suas dimensões, demasiado a sério, porque também a nós nos tomamos demasiado a sério. E, por isso, este período é, muitas vezes, um tempo de bloqueio criativo, em que mesmo escritores e artistas consumados experimentam uma considerável falta de coragem para trabalhar. Mas esta fase pode ser também de solidificação da autoconfiança e dos métodos de expressão criativa, se compreendermos que a inspiração é comum, mas o trabalho não, que 95 % da criatividade não passa de trabalho duro. Como o escritor Henry Miller escreveu no seu diário: «Quando não puderes criar, trabalha!» Também o escritor William Faulkner, a quem uma vez perguntaram em que alturas escrevia, respondeu: «Só escrevo quando sinto disposição para escreve … e sinto-a todas as manhãs!»

Como a V casa é também a casa do jogo, dos passatempos e dos divertimentos, o trânsito de Saturno através dela tem, por conseqüência, impacte nestas áreas de vida. É vulgar, neste período, o excesso de trabalho, visto que é muito difícil para a pessoa arranjar tempo para se divertir. Mesmo que tire umas «férias», pode acontecer que não repouse, porque o seu espírito continua ocupado com pensamentos sérios. Noutros casos, aquilo que costumava ser um passatempo torna-se mais produtivo e mesmo, às vezes, uma atividade regular e estruturada.

Se considerarmos a V casa como a XII a contar da VI, veremos ainda outros reflexos deste trânsito: tornam-se manifestos os resultados do trabalho anterior e a eficiência com que desempenhamos os nossos deveres, quer como um prazer, a um profundo nível de satisfação, e como um fluxo regular de energia criativa, quer como dissipação e aventura, numa tentativa fútil de atingir aquilo que nunca realmente merecemos através de um esforço aplicado.

Trânsito de Saturno na Casa VI

O trânsito de Saturno pela VI casa é um período de aulo-ajustamento e de mudança no pensamento, no trabalho e nos hábitos de saúde. A pessoa é, regra geral, impelida de dentro ou pressionada pelas circunstâncias a tornar-se mais organizada e disciplinada em muitas áreas práticas da vida, mas particularmente na do trabalho e da saúde. Mudança de emprego ou mudanças na estrutura de trabalho são vulgares, como são incomodativos problemas crônicos de saúde. Conheci uma pessoa notavelmente desorganizada e ineficaz que se tornou muito mais disciplinada no seu trabalho durante este período, a ponto de exclamar: «Não posso acreditar no que tenho feito estes dias!Estou eficientíssimo!» Saturno, aqui, obriga-nos a determinar por nós próprios o que tentamos fazer e a escolher entre o importante e o acessório. Na verdade, a faculdade de destrinça é, por vezes, tão activa durante este período que o indivíduo sofre de depressão ou de padecimentos psicossomáticos, provenientes de um excessivo autocriticismo. Este autocriticismo é também motivado por começarmos a ver nesta fase o que sentem a nosso respeito as pessoas com quem vivemos e trabalhamos. Veremos se somos realmente úteis ou se somos considerados como fardos. Por outras palavras, como a VI casa é a XII a contar da VII, torna mo-nos mais conscientes dos resultados das várias relações na nossa vida.

A fase da VI casa do ciclo de Saturno respeita essencialmente à auto-purificação a todos os níveis. Muitos dos problemas de saúde que surgem durante este período podem ser diretamente relacionados com os hábitos alimentares das pessoas e, por isso, com um alto nível de toxemia. Parece que o corpo tenta libertar-se das impurezas e, se não cooperarmos com este processo de purificação, os sintomas físicos acabam por se manifestar. O trânsito de Saturno através da VI casa é um excelente período para corrigirmos o regime alimentar, para fazermos exercícios de rotina e para adquirirmos hábitos de saúde, ou para encetarmos uma prolongada dieta depurativa ou de jejum. O principal facto a ter presente neste período é que quaisquer problemas de saúde (ou problemas relacionados com o trabalho) são lições específicas que nos mostram quais as mudanças necessárias nos nossos hábitos de vida e nos preparam para outra fase que começa quando Saturno passa sobre o descendente natal e entra na VII casa.

Trânsito de Saturno na Casa VII

Tal como o trânsito de Saturno por qualquer outra casa, esta posição pode manifestar-se simultaneamente a diversos níveis. Alguns dos meus clientes começaram a fazer sociedades neste período que, regra geral, se consolidaram financeiramente quando Saturno entrou na VIII casa. Todas as relações são levadas mais a sério e a pessoa começa, muitas vezes, a assumir maior responsabilidade na manutenção de determinada relação. O ponto focai da atenção na maior parte dos casos parece ser, contudo, o das relações fundamentais pessoais ou o do casamento. Quando Saturno cruza o descendente e começa o seu semiciclo acima do horizonte, compreendemos as nossas necessidades de relação com os outros, as nossas limitações e os nossos deveres; este período assinala também a entrada do indivíduo numa fase mais florescente de participação pública e social. Se uma pessoa tem por garantida uma relação importante ou sente que determinada relação não está a satisfazer as suas necessidades, é esta a altura para enfrentar realisticamente a situação. (O trânsito de Saturno por Vénus natal é semelhante). Saturno devolve-nos à realidade das áreas de vida indicadas pela sua posição e devemos tentar estabelecer uma perspectiva sólida bem definida das relações que têm um forte impacte em todo o nosso estilo de vida e na nossa identidade. (Repare-se que quando Saturno transita em conjunção com o descendente está, ao mesmo tempo, em oposição com o Ascendente.) Se se espera demasiado de uma relação ou do casamento, se se sente que ela é impraticável do modo que para nós é importante, é altura de enfrentar os factos com objectividade e isenção. Nesta fase, desenvolve-se, muitas vezes, uma certa frieza e reserva nas atitudes e no comportamento nas relações íntimas, e o nosso companheiro pode interrogar-se sobre os motivos que parecem levar-nos a abandonar o estilo habitual de relacionação. Se se puder explicar que estamos apenas a distanciar-nos um pouco do outro por algum tempo, a fim de adquirirmos uma perspectiva mais clara da relação e da medida em que queremos participar nela, o companheiro, pelo menos, não imaginará coisas piores do que a situação real. Não há dúvida de que este período pode ser um teste para muitos casamentos e relações íntimas, mas o stress que arrasta consigo depende da qualidade e do nível de autenticidade que tenha caracterizado essas relações no passado.

Na minha experiência, em contraste com algumas afirmações astrológicas tradicionais, o divórcio não é mais comum neste período do que durante aquele em que Júpiter transita pela VII casa; parece, até, menos comum do que neste último período, visto que o trânsito de Júpiter assinala uma época em que uma pessoa procura florescer e expandir os limites das suas relações. Mas o trânsito de Saturno através da VII casa é um período de decisões e empenhamentos (ou reempenhamentos) no âmbito das relações e talvez que o mais importante nesta fase seja a capacidade que se adquire para ver mais objetivamente o nosso companheiro como uma pessoa totalmente diferente de nós, mais do que como apêndice ou apenas um objecto ao qual dirigimos as nossas projeções. Em resumo, se determinada relação for suficientemente saudável e flexível para que possamos sentir na íntegra a nossa identidade e relacionarmo-nos com os outros e com a sociedade em plena consciência, então ela é, decerto, praticável. Eis o que compreenderemos durante este período, embora essa compreensão possa surgir somente depois de alguns severos testes de qualidade da relação. De outro modo, devemos redefinir nesta fase a própria relação e a perspectiva que dela temos, e tomar decisões sobre a energia que devemos utilizar para a tornar praticável.

Trânsito de Saturno na Casa VIII

Este período pode acentuar uma destas dimensões de vida ou todas elas: financeira, sexual-emocional, psicológica ou espiritual. Como a VIII casa está associada a Plutão e a Escorpião, este período é particularmente importante como tempo de acabar com velhos padrões de vida e — embora abandonando algum intenso desejo ou ligação — de experimentar uma espécie de renascimento no final. A necessidade de disciplinar os desejos e de estruturar as ligações emocionais torna-se clara, quer através de circunstâncias que nos impelem a enfrentar certos factos pela pressão da frustração, quer pela compreensão íntima das ramificações últimas dos nossos desejos e do modo como usamos todas as formas de poder — financeiro, sexual, emocional, oculto e espiritual. Muitas pessoas sentem este período como um tempo de profundo sofrimento, cuja causa é difícil identificar. Algumas comparam-no a uma travessia do Inferno ou do Purgatório, na qual os seus desejos e ligações se refinam e a sua consciência das energias mais profundas da vida é despertada. Trata-se, em resumo, de um período para enfrentar os ultimatos da vida, as experiências medulares tantas vezes ignoradas e desprezadas. Muitos indivíduos parecem preocupar-se com as realidades essenciais da vida da alma, do Além e da morte. É um tempo para enfrentar o facto inexorável da morte com mais realismo — e a consciência da inevitabilidade da morte leva, muitas vezes, as pessoas a dedicarem-se à expressão das suas últimas vontades, fazendo testamentos e dispondo dos seus bens. Neste período, são também freqüentes outras reorganizações financeiras, mas, regra geral, o indivíduo procura proteger-se e estabelecer um certo tipo de «segurança da alma» ao mais profundo nível possível.

Trata-se igualmente de uma fase em que se compreende a importância da vida sexual e das implicações do modo como as energias sexuais têm sido canalizadas. Em alguns casos, é um período de frustração sexual, forçando a pessoa a tornar-se mais reservada e disciplinada; noutros casos, o indivíduo agirá conscientemente, de modo a cortar com determinados escapes ou atividades sexuais anteriormente importantes, compreendendo o valor de conter a força sexual dentro de si próprio, a não ser que ela seja usada com um propósito construtivo e curativo. É também um tempo em que muitas pessoas se absorvem em estudos de ocultismo, práticas espirituais e em vários tipos de investigação. Parece-me que uma das chaves para este período pode obter-se entendendo que a VIU casa é a XII a contar da IX: por outras palavras, o trânsito de Saturno por esta casa traz à superfície os resultados dos nossos esforços para viver os nossos ideais e crenças. Isto manifesta-se então como transformação – quer agradável, quer dolorosa, por causa do sofrimento exigido para a redefinição dos ideais de vida.

Trânsito de Saturno na Casa IX

O trânsito de Saturno pela IX casa é, em primeiro lugar, um período de assimilação das experiências de muitos anos e da sua relacionação com algum ideal, alguma filosofia ou algum regime de auto-melhoramentos significativos. É vulgar as pessoas encetarem um processo estruturado de obtenção de maiores conhecimentos, quer através de viagens, de freqüência escolar, de assistência a conferências ou serviços religiosos, ou apenas mediante o estudo individual concentrado. Conheço casos em que a pessoa combinava mais do que uma destas possibilidades, por exemplo, frequentando uma escola num país estrangeiro. Basicamente, trata-se de um período para investigar e definir as nossas crenças últimas, tendência que nos pode levar a estudos filosóficos, religiosos ou metafísicos, ou a teorias jurídicas ou sociais. As nossas crenças precisam de ser definidas durante esta fase porque nos servirão depois como ideais para guiar a nossa vida e iluminar o nosso rumo.

Trata-se, em resumo, de um período em que a maior parte das pessoas sente uma forte ânsia de se aperfeiçoar. Para alguns, isto significa que deverão adequar a sua vida a um ideal mais elevado; para outros, que sentem a necessidade de viajar pelo mundo ou de estudar diversos temas, a fim de atingirem uma perspectiva mais ampla sobre a existência. Para outros, ainda, particularmente aqueles que tendem a aceitar noções socialmente definidas do que significa o aperfeiçoamento próprio, é um período em que começam ou, pelo menos, se empenham mais profundamente em determinado curso escolar. É uma fase excelente para a aplicação séria das energias mentais e é vulgar que durante ela as ambições relacionadas com a influência sobre os outros, através do ensino oral ou escrito, se consolidem de maneira definida. Deve notar-se também que a IX casa é a XII a contar da X; por isso, representa os resultados do modo como trabalhamos em ordem a realizar as nossas ambições, o que se manifesta como impaciência ou insatisfação, ou como a compreensão simples de que precisamos de trabalhar mais, agora, para exprimir o conhecimento que obtivemos de realizações passadas ou de atividades vocacionais. Este período constitui também uma preparação para a fase seguinte da X casa, no sentido em que as ambições que procuramos realizar dependerão, em grande parte, dos ideais a que agora aderirmos.

Trânsito de Saturno na Casa X

O trânsito de Saturno pelo Meio do Céu e a sua entrada na X casa trarão, regra geral, para o primeiro plano, uma séria preocupação com as ambições, as esperanças de atingir algo na carreira, o papel na sociedade e a autoridade que se possui, e a estrutura do trabalho específico através do qual tentamos atingir os nossos objetivos. Por vezes, pode ser sentido como um período de frustração nessas áreas de vida ou como um período de ansiedade, quando estamos sobrecarregados com deveres que nos desagradam, nomeadamente no caso em que a carreira ou estrutura vocacional que construímos é demasiado opressiva ou não é suficientemente realista para satisfazer a nossa verdadeira natureza. Contrariamente àquilo que algumas tradições astrológicas nos levariam a crer, esta fase não indica necessariamente que as nossas ambições vão ser contrariadas; mostra apenas que é tempo de trabalharmos mais na definição do seu alcance e significado. Na verdade, algumas pessoas experimentam uma culminação minto positiva dos seus objetivos de carreira neste período, com reconhecimento social e realização consideráveis. Isto, contudo, não me parece acontecer — digo-o pela experiência que tenho — com tão grande regularidade como as teorias de Lewi indiciam, embora seja comum. É também um período para obter uma perspectiva isenta daquilo que realmente fizemos, diferente da nossa reputação (que é, muitas vezes incorreta) ou daquilo que pensamos que fizemos. Se virmos a X casa como a XII a contar da XI, podemos ainda deduzir que esta fase mostra os resultados (XII casa) nas nossas associações, objetivos e sentido individual (XI casa). Se a carreira ou estrutura vocacional parece frustrante nesta fase, isso provém, geralmente, do fato de não termos incorporado nela suficientemente os nossos objetivos e os nossos ideais pessoais socialmente válidos. Mas podemos começar a fazer isso quando Saturno entrar na XI casa.

Trânsito de Saturno na Casa XI

O significado da XI casa raramente é esclarecido na maior parte dos textos astrológicos e as palavras-chave dadas para esta casa são, com freqüência, vagas e confusas. Parece-me, antes do mais, que esta casa simboliza o nosso sentido individual, isto é, o modo como vemos a nossa função na sociedade e como nos queremos desenvolver no futuro a um nível pessoal. Esta casa é provavelmente aquela que está mais virada para o futuro, e as pessoas que têm nela o Sol ou outros planetas importantes tendem a preocupar-se muito com o futuro, quer quanto ao que desejam tornar-se, quer quanto ao modo como a sociedade se desenvolve e àquilo a que irá chegar.

Por isso, o trânsito de Saturno por esta casa indica um período em que compreendemos o que fizemos, o que não fizemos e aquilo que devemos fazer, especialmente em relação aos outros ou à sociedade como um todo. É uma fase para descobrir o que estamos a dar aos outros, agora que dispomos de um lugar na sociedade (X casa). É um período em que é importante pensar nos nossos objetivos; não tanto em objetivos de carreira, mas nos objetivos pessoais, aquilo que queremos ser, que papel sentimos que nos é mais adequado na comunidade dos seres humanos. É um período para definir os nossos desejos e esperanças íntimos, o sentido do que desejamos para nós próprios em relação com as necessidades dos outros. É, por isso, um tempo de assumirmos mais responsabilidade no modo como nos relacionamos com as outras pessoas, preocupação esta que leva a uma atitude mais sóbria, não só para com as amizades e associações individuais, como também para com os compromissos tomados com grupos de pessoas. Em alguns casos, podemos ter necessidade de acabar com várias amizades ou associações; mas, noutros, descobriremos uma ânsia de assumir nelas mais responsabilidade. Por exemplo, uma senhora dedicou-se a organizar (Saturno) excursões para grupos de celibatários quando Saturno transitava pela sua XI casa. Como pode ver-se pela associação desta casa com o signo de Aquário, é um período para oferecer aos outros aquilo que aprendemos durante o trânsito de Saturno pelas dez casas anteriores.

Trânsito de Saturno na Casa XII

Como afirmei no princípio deste capítulo, o trânsito de Saturno por esta casa, juntamente com o seu trânsito pela I, coincide com uma importante fase de transição na vida de toda a gente. A fase de Saturno na XII casa é um período em que defrontamos resultados de todos os pensamentos, ações, desejos e atividades que foram nossos durante o último ciclo saturnino através das outras casas. O modo pelo qual nos temos exprimido no mundo (I casa) levou-nos inevitavelmente ao confronto com este particular tipo de karma. Se é este o primeiro trânsito de Saturno pela XII casa durante esta vida, então a fase da vida que termina com este período pode ser uma que começou numa vida passada. Mas, em qualquer caso, trata-se do fim de um velho ciclo; e, por isso, muitas vezes nos sentimos descontentes, confusos, desorientados, presos num quadro emocional e mental, à medida que as velhas estruturas começam a desmoronar-se. Por outras palavras, as ambições, valores, prioridades e crenças que em tempos deram significado e direção à nossa vida, começam a dissolver-se quando Saturno entra nesta casa; e a sensação de estarmos perdidos, de não termos base sólida em que assentemos os pés, é geralmente muito forte durante o primeiro ano desta fase, até que se consolidem novos valores e novas atitudes, mais apurados, perante a vida. Trata-se, assim, de um período para a definição dos ideais e da orientação espiritual última, e muitas pessoas ocupam-no experimentando novas perspectivas, depois de se terem libertado de velhas ligações que agora se demonstram como vazias e inertes. Trata-se, em resumo, de um período de trabalho na clarificação das dimensões transcendentes e sutis da vida que, embora sejam difíceis de exprimir, constituem a mais oculta fonte de força que nos ajuda a combater pelo desenvolvimento no meio das batalhas e dos obstáculos da vida.

A XII casa tem sido denominada casa do isolamento porque, neste período, é bastante comum um certo tipo de isolamento físico. Mas o mais comum é a pessoa, pelo menos durante a primeira metade do período, sentir-se numa prisão emocional, isolada do mundo exterior que parece distante e irreal. É um período em que nos devemos voltar para nós próprios, a fim de despertar fontes interiores de energia emocional e espiritual; e, muitas vezes, parece que se não optarmos conscientemente neste sentido surgem circunstâncias que nos levam a experimentar uma certa forma de isolamento pessoal e não nos deixarão outra escolha senão a de refletir sobre as nossas vidas de uma perspectiva distante. Mas, na maior parte dos casos que conheço, a pessoa anseia pelo isolamento, por se afastar das preocupações do mundo exterior, quer isso tome a forma da fuga para o mosteiro ou de uma simples retirada das muitas associações e atividades que dantes tinham sentido. É um período excelente para o estudo de temas espirituais, místicos ou ocultos, e muitas pessoas sentem-se também particularmente atraídas para a expressão musical, poética ou visionária, visto que aquilo que sentem não pode exprimir-se em termos lógicos ou racionais, mas somente através de imagens, vibrações e intuições. Verifica-se também, com freqüência, um impulso para atividades humanitárias ou eminentemente sociais, como meio de descobrir um sentido para a vida.

Os problemas de saúde, não raros neste período, são, regra geral, de ordem psicossomática, queixas difíceis de diagnosticar que só uma terapia psicológica/espiritual resolverá. A energia física é, muitas vezes, baixa, devido ao desgaste emocional proveniente da desagregação de toda a antiga estrutura da personalidade. O velho dissolve-se, a fim de deixar espaço para o nascimento de uma nova orientação de vida, de uma nova estrutura de vida. Contudo, o mais desorientador neste período é o facto de se caracterizar pela espera, pelo sonho, pela exploração interior, tempo durante o qual o indivíduo não tem limites firmes nem uma base sólida a que se fixe. Uma pessoa espera e prepara o nascimento da nova estrutura, mas não começará a construí-la enquanto Saturno não tiver cruzado o Ascendente para entrar na I casa. No entanto, se uma pessoa extrair força interior da compreensão de que um novo EU se está a criar, a libertar-se de inúmeros estorvos, então, quando Saturno atravessa a XII casa e se aproxima do Ascendente, podemo-nos tornar cada vez mais inspirados, cada vez mais felizes.

R$ 9,90

Como obter este livro em PDF:
1 – Envie o pedido para o e-mail: livrariaastrologica@gmail.com
2 – Você receberá uma ordem de pagamento do PagSeguro com o valor do PDF.
3 – Após a confirmação do seu pagamento você receberá seu PDF em seu e-mail.

Ω