Traduções

O Efeito dos Nódulos Lunares em uma Biografia Humana

Nosso Plano Oculto

Susanne Donato

Waldorf Journal Project #2

Traduzido do Alemão by Nina Kuettel

υ

Tradução para o Português:
César Augusto – Astrólogo

φ

Em uma palestra em Dornach, Suíça, em 16 de abril de 1920, Rudolf Steiner explicou como o processo de respiração macrocósmica nos céus é conectado ao processo de respiração microcósmica no mundo humano expresso através de um ciclo rítmico de 18,6 anos. Na biografia humana, encontramos esse ciclo rítmico no trânsito dos nódulos lunares ou nodos da Lua. Segundo Steiner, coisas importantes acontecem na alma do ser humano no curso desses ciclos.

As noites em que esses ciclos atravessam a vida de uma pessoa se tornam as noites mais importantes da sua vida. Ai está o ponto onde o macrocosmos completa suas 18 respirações, completando assim, um minuto. É aqui onde de certa forma, o ser humano abre uma janela para um mundo totalmente diferente.

Quais são esses nódulos lunares cuja influência sobre a vida humana é notada várias vezes ao longo deste vasto ciclo de tempo?

Os Nódulo Lunares na Astronomia

Primeiro, vamos ver como os astrônomos nos explicam o movimento dos corpos celestes. Observando do ponto de vista geocêntrico da Terra vemos o Sol orbitando a Terra. O chamado caminho orbital que delineia assim, a eclíptica. A Lua também orbita a terra. Observando-a no caminho do Sol, a eclíptica, seu caminho orbital é inclinado em cerca de 5º.

Os pontos em que os passos orbitais do Sol e da Lua interceptam-se são chamados nódulos lunares. Porque a Lua completa uma órbita ao redor da Terra em torno de um mês, neste período cruza o caminho da órbita do sol duas vezes, uma vez na direção do norte o nódulo lunar norte ou ascendente e, meio mês depois, na direção do sul o nódulo lunar sul ou descendente. Ao longo desses ciclos mensais, o ponto de interseção move-se retrógrado pela eclíptica. Após 18,6 anos, esse ponto de intersecção já atravessou toda a eclíptica (360˚) e fica praticamente no mesmo lugar de 18,6 anos antes. Referindo-se a uma biografia humana, isso significa que após 18 anos, 7 meses e 9 dias, o nódulo lunar ascendente está novamente no mesmo lugar em que estava no momento do nascimento dessa pessoa. Deste modo podemos pintar para nós mesmos a imagem das dramáticas conseqüências quando da nossa insistência em permanecer no útero.

Então, decidimos abrir mão da proteção e segurança do organismo materno. Durante o difícil e doloroso processo de nascimento físico, nós já passamos por uma porta para o outro lado e a nossa vida independente começou. Então demos os primeiros passos elementares: a primeira respiração, a ingestão, a nutrição e a digestão. Também pela primeira vez, o organismo precisa se ajustar às mudanças  de temperatura. De repente, somos expostos a consequências imprevisíveis e, aparentemente a experiências ameaçadoras.

O registro que trazemos nos nódulos lunares ao nascer, irá nos encontrar novamente em todos os nódulos lunares posteriores durante nossa vida. Por um lado, vem a decisão de dizer adeus a condições que não nos oferecem mais possibilidades para o nosso processo de amadurecimento interno e externo. Muitas vezes, essa decisão primeiro canaliza-se nos níveis inconscientes do nosso ser e, a princípio, apenas expressará sentimentos desconfortáveis, solitários, incompreendidos e constrangidos por convenções e regras. Nos sentimos insignificantes e sem importância. Vivemos controvérsias com pais, amigos, colegas e vizinhos. Um anseio cresce dentro de nós para fazer tudo de forma diferente e começar algo totalmente novo. Então, mais ou menos conscientemente, ‘títulos antigos’ são cedidos de modo a ordenar nosso crescimento interno.

Assim como no nascimento físico, esses processos de nascimento também não acontecem sem trabalho, dor e desconforto. Lesões durante esses partos não podem ser evitadas. O processo de parto pode ser rápido ou lento. Pode ser leve ou acompanhado por eventos dramáticos. Dr. Frank Nager, cardiologista em Zurique, diz em seu livro Goethe der heilkundige Dichter (O Dramático Nascimento de Goethe): “Veio a este mundo meio engasgado, azul cianótico e parecendo estar morto. E depois deste começo, precocemente sovado pela morte, já no primeiro nódulo lunar, o quarto também levou o poeta à beira da morte”.

O Primeiro Nódulo Lunar

Atingimos o primeiro nódulo lunar aos 18 anos, 7 meses e 9 dias após o nascimento ocorre um segundo processo de nascimento. Isso tem a ver com a separação da família. É necessário desvencilhar-se da corrente hereditária, da autoridade dos pais. É o começo de uma nova independência.

Este é o momento que nos afastamos das pessoas com quem não compartilhamos mais um destino em comum, diferente daquele do impulso de nosso nascimento, agora nos separamos das pessoas que não podem mais contribuir para nosso desenvolvimento e vice-versa.

A escola e outras amizades dessa fase chegam ao fim. A conexão com os pais afrouxa e o relacionamento pai e filho deve se transformar num relacionamento mais igual, com base na amizade. Somos movidos por perguntas como: Qual é o significado da minha vida? Sobre quais impulsos da vida eu vim ao mundo? Onde encontrarei meu lugar na Terra, para poder viver esses impulsos?

Nós nos questionamos sobre o caminho adequado, a carreira certa. Mesmo que já tenhamos iniciado uma profissão individual ou familiar, exercido um  aprendizado, por exemplo, ou se já estivermos vinculado a um emprego, mesmo assim, frequentemente nos perguntamos: ‘Estou na profissão certa para mim? Essa é minha vocação?

Se essas perguntas não forem feitas ou, no caso de uma resposta negativa, se não for encontrada nenhuma maneira de mudar, poderão ocorrer graves consequências no futuro. O anseio pela auto-realização surge. No momento do primeiro nódulo lunar, começamos a desenvolver nossa própria personalidade; começamos a trabalhar em nós mesmos. Assim como um bebê engatinha, ao seguir o exemplo dos adultos, um dia ficará de pé com as duas pernas, então também, aos 18 ou 19 anos, queremos ficar de pé interiormente, desenvolver nossos próprios ideais e valores, e agir sobre eles.

Nesse contexto, é interessante relatar a cura física dos Evangelhos, uma idade é dada em apenas três delas e duas delas lançam luz sobre o evento do nódulo lunar. No Evangelho de Lucas, é contada a história de uma mulher que sofre de uma doença há 18 anos. “Ela estava curvada e não podia ficar de pé”. Através da intervenção de Jesus, com atos e palavras, ela pôde “no local ficar de pé novamente”.

Esta imagem é incrivelmente exata. Nesta idade, ainda precisamos ajuda de fora, um chamado de fora, a fim de aproveitar este momento. Como quando bebê, tivemos o exemplo e encorajamento das pessoas que estavam de pé diante de nós. Pais e irmãos que prestaram com as mãos ajuda para a criança que lutava. Aos 18 ou 19 anos, frequentemente vem o chamado espiritual de uma força do destino que aponta um caminho com sinceridade.

A biografia de Goethe mostra o quão dramático e poderoso foi esse chamado ‘direcional’. Em junho de 1768, o estudante de direito de 18 anos da Leipzig sofreu uma hemorragia com risco de morte. O significado mais profundo dessa ameaça foi explicado pelo próprio poeta. Em desarmonia, ele viveu de tal modo estressado por seu organismo “que os sistemas contidos nele finalmente tiveram que irromper em uma conspiração e revolução para salvar o todo” (Dichtung und Wahrheit). Numa palestra Rudolf Steiner fala claramente sobre esse processo: “Aquilo que vivia dentro de Goethe como sua individualidade era muito maior do que aquilo que seu organismo poderia realmente aceitar”. Através da doença, Goethe experimentou um afrouxamento entre seu corpo etérico e seu corpo físico pelo qual ele ganhou a capacidade de permear-se com uma imaginação extra-sensorial. Foi um tipo peculiar de iniciação, mas o efeito sobre seu psiquismo não comprometeu prematuramente a imensa força da individualidade de Goethe.

Uma descrição concisa das características e desafios do primeiro nódulo lunar é:

De casa para o mundo,
Buscando nossa própria casa corpórea.

Mas isso não significa apenas a localização geográfica, mas também o nosso campo de atividade, onde poderemos nos sentir em casa. No caso de Goethe era seu próprio corpo terreno com o qual ele tinha que lutar para o alcançar como sua casa.

O Segundo Nódulo Lunar

No momento de evento do segundo nódulo lunar aos 37 anos, 2 meses e 20 anos dias, ocorre o terceiro processo de nascimento. Agora tem a ver com desanuviar-se de conexões sociais pendentes que dificultam ou prejudicam o impulso pré-natal. O local de trabalho, o círculo de amigos e colegas, o círculo de parentes e vizinhos são novamente reavaliados. O ambiente social tal como existia até agora é colocado em análise. Também o que existe dentro da alma é questionado e novamente avaliado.

Agora surgem as perguntas: eu encontrei meu lugar socialmente? Dentro quais conexões humanas me sinto confortável? Eu me sinto entendido? Com quais pessoas do meu ambiente também posso contar em situações de crise? Quem me valoriza em meu caráter particular? Onde posso ser bem-vindo com minhas habilidades adquiridas? O que posso fazer com essas habilidades a meu favor?

Se as respostas não forem positivas no contexto das associações sociais, então novas conexões sociais são buscadas. Nessa idade, Goethe encontrou seu ministério e vida social em Weimar tão constrangedor e sufocante que ele fugiu para a Itália. Animado e rejuvenescido pelas impressões e experiências de suas viagens italianas, ele pôde escrever para a sra. Von Stein em 6 de janeiro de 1787: “Todo dia eu tiro uma casca nova e espero voltar como um ser humano”. Esse renascimento alma-espiritual lhe deu uma visão abrangente sobre a natureza. Enquanto na Itália, ele formulou suas idéias sobre a metamorfose das plantas e animais e os arquétipos de plantas e animais. A especial experiência de luzes e cores dessa paisagem do sul o levaram à sua teoria da cor.

Muitas vezes, há mudanças surpreendentes nas carreiras neste momento. No final da década de 1970 abandonou-se o movimento do estilo de  vida alternativo que era frequentemente atribuído ao segundo nódulo lunar. Gerentes de industriais e bancários de sucesso, entre 37 aos 40 anos, voluntariamente encerraram suas carreiras e se voltaram para questões alternativas. Os novos empregos geralmente tinham causas sociais subjacentes de pouco reconhecimento, mas eram mais satisfatórios do ponto de vista pessoal. Eles saíram para seguir seus corações. Durante esse ciclo, o destino também exige consciente renúncia e sacrifício. Eventos do destino, que acontecem conosco neste época, devem ser vistos como um forte apelo à nossa independência e iniciativa e exigir o desenvolvimento das forças cardíacas em todos os sentidos.

Com 19 anos, talvez tenhamos saído da escola com uma sensação de alívio e alegremente deixamos a casa de nossos pais. Foi, de certa maneira, o natural fluxo da vida. Mas as separações e tarefas que agora vêm em nossa direção se tornam testes do coração e exigem coragem e autoconfiança.

No Evangelho de São João, encontramos a história do homem coxo em Bethesda. Ele está aleijado há 38 anos e não tem ninguém que leve água ao local. Jesus pergunta a ele: “Você vai ficar bem?” E a pergunta deixa o homem doente irritado: “Então, pegue sua cama e ande”. Isso é exatamente o que o aleijado não poderia fazer. Mas o homem coxo entendeu o que Cristo quis dizer. É o poder da adaptabilidade interior, sua força da alma, que supera a adversidade externa, como é apresentado a nós aqui com a imagem de um corpo coxo. Não podemos mais nos deixar levar pelo nossos companheiros seres humano. Devemos nos tornar aqueles que carregam os outros. Nós podemos entender o segundo nódulo lunar como se segue:

Busque pelo seu próprio lugar de alma;
nossa alma em casa.

Ao desenvolver nossas forças da alma, nossas forças do coração, também podemos nos tornar espiritualmente em casa, em nosso próprio ambiente social.

O Terceiro Nódulo Lunar

O terceiro nódulo lunar, ocorrendo aos 55 anos, 10 meses e 28 dias, quase 56 anos, traz novas oportunidades sociais e novas orientações (quarto processo de nascimento). Abordagens da aposentadoria: no Japão e na França, a idade da aposentadoria para muitos empregos é de 55 anos. As crises na carreira parecem se acumular. Na Alemanha, trabalhadores nessa faixa etária devem se aposentar. Mas mesmo onde não é esse esse o caso, onde não há estresse externo desse tipo, geralmente chegamos a angústia interior. O trabalho que realizamos com devoção e o casamento de muitos anos de repente parece obsoleto e vazio. A atividade não nos satisfaz mais. Não nos sentimos mais tão entusiasmados com o nosso emprego ou ocupação.

Em alguns casamentos e sociedades de longa data, o vazio, o tédio, e a indiferença surgem. De repente, essas coisas, cobertas há muito tempo por atividades e rotinas diárias, vêm à tona de nossa consciência e pode levar à crise no casamento e possivelmente ao divórcio. Ou, a ansiedade desperta quando sentimos nossa força física minguante nos impedindo de cumprir nossos deveres.

Fazemos um balanço de nós mesmos: isso foi tudo? Qual dos desejos da minha vida e objetivos que eu realizei? Que tarefas e possibilidades ainda me restam?

O desejo e o anseio de deixar algo duradouro e significativo para o mundo continua vivo em nós. Como nossa energia física se torna menor, devemos, mais do que sempre, examinar o que é importante para nós, o que é essencial e perguntar: O que eu ainda quero fazer? O que eu ainda quero alcançar na minha vida?

No segundo nódulo lunar, a questão era: Em quais contextos das relações sociais eu me sinto confortável? Agora, no terceiro nódulo lunar, surge um elemento espiritual: ainda temos interesses e objetivos em comum? Ainda temos algo a dizer para um outro? Ou estamos apenas ficando juntos por hábito? Amizades e relações sociais são examinadas e pesadas de acordo com sua conectividade e valor duradouro. Se deparar com doenças graves também torna-se mais frequente. Quantas pessoas neste momento adoecem com câncer, têm um ataque cardíaco ou sofrem com a culminância de uma doença crônica? O pensamento da morte habita mais fortemente a consciência e serve para aguçar o olhar para o mundo espiritual. Nós nos tornamos contemplativos. O que vem depois da morte? De onde viemos? Onde estamos indo? Qual o significado mais profundo da vida?

Perguntas espirituais e religiosas se tornam importantes. Se tivemos, até agora, apenas nominalmente conectado a uma comunidade religiosa, nesse momento sentimos a necessidade de aprofundar nossa experiência religiosa. Nós realmente queremos saber. Queremos experimentar a realidade e a verdade do mundo espiritual. O lema desse período de nossas vidas, pode ser:

Como nos vemos sendo vistos no mundo?

Nós experimentamos a nós mesmo como seres criativos e espirituais e queremos saber: Onde será o meu distinto lugar em uma casa espiritual perene?

A Busca pelo Lar Espiritual

Goethe alcançou seu terceiro nódulo lunar em 1805. Ele ficou doente nos primeiros meses deste ano e foi atormentado por cólica renal. Seu amigo Schiller também adoeceu durante esses meses. Em 1º de maio, Goethe o visitou pela última vez, e em 9 de maio, Schiller morreu. Três semanas depois, Goethe escreveu a Zelter sobre a perda de seu bom amigo: “Eu pensei que me perderia, mas perdi um amigo e ao mesmo tempo metade do meu ser”. Mas Goethe não permaneceu nesse estado de resignação. Algum tempo depois, enquanto olhava o crânio de Schiller, ele disse:

O que mais uma pessoa pode ter da vida
Do que a Natureza Divina se revelando
Permitindo que o sólido escorra para o espírito
Preservando solidamente o criado pelo espírito.

Quarto e Quinto Nódulos Lunares

O quarto nódulo lunar ocorre aos 74 anos e 5 meses. O quinto nódulo lunar ocorre aos 92 anos, 1 mês e 9 dias e hoje é mais e mais frequentemente vivido.

Até este momento, quem alcançou certa sabedoria e resolveu as tarefas dos nódulos lunares anteriores, de acordo com suas possibilidades individuais, para essa pessoa o reino celestial se torna permeável e ele ou ela pode deixar um pouco de sua sabedoria irradiar arredores. A energia do nódulo lunar que agora flui em nossa direção não é mais importante para o próprio devir. É um presente que, com a nossa ajuda, pode ser concedido ainda a toda a humanidade. No domínio do quarto nódulo lunar, podemos criar calor da alma e um lar da alma para essas pessoas nos cercando. Se ganhamos força e qualidades espirituais suficientes, então, no domínio do quinto nódulo lunar, nosso próprio corpo físico pode tornar-se um lugar do espírito.

O momento do evento do quarto nódulo lunar é singular no destino de Goethe. Suas forças cardíacas foram submetidas a um teste duplo, físico e espiritual. De fevereiro para março de 1823, Goethe teve um ataque cardíaco, o que novamente o levou para os portões da morte. Ele havia se recuperado quando o jovem de 74 anos se tornou inflamado de paixão por Ulrike von Levetzow, de 18 anos. Mas sua oferta de casamento, apresentada pelo Grão-Duque Carl-August von Weimar, foi delicada e discretamente recusada. O poeta abjurou de sua felicidade pessoal. Em três poemas que Goethe mais tarde combinou sob o título “Trilogie der Leidenschaft” (Trilogia da Paixão), podemos ver como Goethe consertou seu coração partido ao obter uma visão mais profunda de suas experiências.

Passado, Presente e Futuro

Os nódulos lunares ocorrem em intervalos exatos de dias. No entanto, o evento relacionado ao nódulo se desenrola ao longo de semanas e meses, como vemos com nossas próprias vidas. Quando olhamos atentamente para essas eventos, descobrimos uma dinâmica de tempo claramente integrada, como uma espiral.

O passado se conclui efetivo, tudo chega ao fim, uma espécie de vácuo acontece. Dentro desse vácuo, o futuro se apresenta. Mas esse futuro ainda não existe e tomamos nossas próprias e corajosas decisões para agarrá-lo e torná-lo nosso.

Podemos saber o exato momento astrológico ou astronômico dos nódulos lunares diante dos eventos que trazem o resultado do passado, do que foi trabalhado e ainda pode evoluir no futuro – ou onde tudo pode parar. Somente quando essa guinada é bem-sucedida conseguimos prosseguir em harmonia com os nossos impulsos do nascimento.

Os Nódulo Lunares Descendentes

No entanto, o que falo-se até aqui é sobre os nódulos lunares ascendentes. Também existem efeitos dos nódulos lunares descendentes. Eles ocorrem no meio caminho entre dois nódulos ascendentes, ou seja, no 9º ano, 27º ano e assim por diante.

A momento de evento do ‘meio-nódulo’ ao início poderá sugerir convincentemente o que vai ser encontrado na tarefa do próximo nódulo ascendente. Por outro lado, neste momento, outra chance se apresenta para resolver o que quer que não tenha se resolvido durante o nódulo anterior. Eventos relacionados aos nódulos lunares descendentes raramente aparecem externamente. São momentos de separações e mudanças silenciosas e ocorrem nas camadas mais profundas do nosso ser.

Nosso Plano Oculto

Se perguntamos as pessoas sobre seus objetivos de vida, a maioria das respostas dizem sobre objetivos externos: quero ser carpinteiro, professor universitário, especialista, um artista, um gerente de sucesso, um empreendedor, construir uma casa, ser marido ou amar uma mulher e ter filhos, ter muitos amigos, ter um casa de praia, ganhar muito dinheiro e assim por diante.

Quem alcançou certos objetivos também experimentou que felicidade e a satisfação geralmente tem curta duração. Aquilo que penetra nossa consciência, no mais tardar no terceiro nódulo lunar, é o que carregamos conosco como um plano oculto desde o momento do nosso nascimento. É o desejo de criar algo que nos supere e, no melhor sentido da palavra, alcançar a auto-realização.

Nós não somos o professor, o cantor de ópera, o proprietário, o feliz membro de família. Esses são apenas adereços no palco da nossa vida. Nós somos um distinto “eu” e queremos ser reconhecidos compreendidos como tal. Queremos levar algo ao mundo que somente nós pudemos trazer.

Nódulos Lunares: processos de purificação e mudança

Nos tempos atuais nos submetemos totalmente a superficialidades e assim nos perdemos. Os nódulos lunares trazem-nos repetidamente nossas resoluções pré-nascimento, nossos planos ocultos e pontuá-los em nossa memórias novamente para que possamos passar por todas as transformações e encontrar nosso caminho de volta aos nossos passos do destino e às nossas tarefas originais.

As perguntas “Quem sou eu?” e “o que eu quero?” entra em nossa consciência em formas sempre novas durante estes momentos. E os eventos do nódulo lunar iniciam processos de purificação e mudança em níveis sempre novos:

O primeiro nódulo lunar no domínio pessoal,
O segundo nódulo lunar no domínio da família, amigos e profissão,
O terceiro nódulo lunar no domínio supra-pessoal do ser humano.

Relacionamentos sociais e afetivos, que serviram apenas para nos vincular ao passado e que mesmo no tenham sido queridos, mas dos quais nada de novo apresentam, devem ser deixados para trás. Com essas conexões, o desenvolvimento chega ao término. Não vai mais longe. Um vácuo surge. Nós somos chamados de fora para tomar decisões que mudam o destino. O nódulo lunar libera forças para esses espaços de respiração do destino, evocam energia renovada do nosso eu interior, despertam a vontade de esculpir algo novo.

A princípio, esse algo novo se anuncia através da interiorização, convulsões e separações. Nós nos sentimos incompreendidos, temos dúvidas, experimentamos nossa própria inanidade, ficamos insensíveis, desamparados, profundamente solitários, e abandonados.

Mas então os pensamentos que nascem dessa angústia interior são corajosos, são tomadas decisões que nos inflamam com nova vida e nova energia. Nós entramos num modo pioneiro e numa atmosfera de partida que, ao mesmo tempo, desperta nossa vontade e coragem de sacrificar e nossa capacidade de auto afirmação.

Se o processo do nódulo lunar traz mudanças dramáticas ou ocorre praticamente despercebido varia de pessoa para pessoa e pode ser diferente de nódulo para nódulo. Para uma pessoa que vive presa no passado e se apega ao que é conhecido, rejeitando o novo, pode se tornar algo longo, uma luta dolorosa em que talvez apenas um golpe grave do destino, uma ameaça para existência ou um confronto com uma doença e a morte faz o que leva a pessoa mudar. Se uma pessoa pode levar uma vida que está em harmonia com seus impulsos de nascimento, os nódulos lunares podem passar quase despercebidos. Mas eles são sempre experimentamos trazendo novo vigor e intensificação dos impulsos.

Os eventos e experiências dos nódulos lunares são tão variados e individuais quanto as próprias pessoas. Mas o que todos eles têm em comum é que, neste momento, abre-se uma janela para o mundo espiritual, através da qual podemos olhar para o nosso plano oculto. Então, fortalecidos pela energia espiritual, podemos progredir em nosso esforço para desdobrar nossos impulsos mais profundos da vida.

Ω